O comercial.

Nenhum comentário

Eu levo uma vida comum, tenho o meu emprego uma casa simples, como a maior parte das pessoas pago aluguel por ela, tenho o meu cachorro meu companheiro, passei por algumas desilusões amorosas em minha vida, sou uma pessoa comum como a maioria das pessoas, não me sinto mal por ser comum, não me incomoda ser uma pessoas com algo fora do comum. Minha aparência e básica não chama muito atenção, a não ser se eu capricho mais em uma maquiagem em minhas roupas, mas realmente não me preocupo com isto sou uma pessoa comum e pronto.

Por ser uma pessoa comum não chamo muita atenção é isto e a melhor parte de ser uma pessoa comum, vivo a minha vida tranquilamente eu não minha casa sem grandes preocupações. Mas muitas vezes nossas vidas seguem por caminhos que não esperamos, muitas vezes não desejamos as coisas simplesmente acontecem. E foi assim que minha vida mudou completamente de uma forma que eu não esperava, que realmente nunca desejei.

Estava no meu trabalho, eu gostou do que faço mas nada na vida é só coisas boas então estava fazendo as coisas mais chatas do meu serviço, mas estava desanimada por ter que fazer aquele trabalho, coisas da vida, naquele dia meu chefe tinha uma reunião com um cliente novo, sou designer de sites, faço a arte de logotipos entre outros naquele momento eu estava fazendo a parte de programação nossa equipe e pequena então todos fazem um pouco de tudo, porem aquele cliente estava lá pelos os meus logotipos, fiquei orgulhosa em saber que meu trabalho estava trazendo novos clientes, meu chefe me prometeu um promoção e aumento se aquela empresa realmente nos contratasse seria necessário alguém para cuidar unicamente do projeto deles pois era uma empresa grande.

E deu certo, o contrato foi fechado, eu não ganhei apenas uma promoção virei sócia na empresa iria comandar um equipe para cuidar do site daquele cliente para minha vida profissional isto era um máximo, foi também o primeiro passo para deixar de ter uma vida comum. Não notei este passo pra mim isto não mudaria em nada a minha relação com os meus colegas de trabalho, mas mudou e muito, meu colegas me tratavam de forma diferente, principalmente os novos funcionários, todos pareciam querer me agradar de qualquer jeito entre os meus colegas antigos tinha um que sempre tinha uma visão diferente que a minha e nos sempre descorávamos de tudo ela passou a aceitar todas as minhas ideias, mesmo aquelas que todos sabíamos ser o oposto do que ele defendia, isto me chateou me chateou mais ainda quando o ouvir debochando de minhas ideia pelas minhas costa.

Conversei com o meu chefe bom agora sócio sobre o ocorrido, ele falou que nestas horas só temos duas opções ignorar o comportamento do funcionário ou mantar ele embora eu sabia que aquele colega tinha uma filha doente e que  o tratamento dela era muito caro, não achei justo despedir ele por aquele motivo pois ele realizava o seu trabalho perfeitamente.

Os meses passaram e como o meu sócio havia previsto as coisa aos pouco voltaram a ser como antes, não totalmente como antes mas meus antigos colegas se acostumaram com o fato de que agora eu era chefe deles, para ajudar nisto remodelei as equipes deixei apenas os funcionários novos na minha equipe e os antigos na e meu sócio isto ajudou muito no meu relacionamento com eles, pois era difícil pra mim me ver como superior de pessoas que eram minha amigas, isto fortaleceu a minha amizade com alguns deles.

Bom como já disse a vida não é apenas de coisas boas, o novo cliente queria a minha opinião em tudo até nas campanhas de comerciais na TV, aquela não era o foco de meu trabalho mas ele queria que o site representasse o que as pessoas viam na TV, então não tinha muito escolha a não ser ajudar nesta parte a empresa que era responsável pela a produção dos comerciais. E foi ai que dei o grande passo para sair da vida comum, na verdade neste dias deu mais de um passo nesta direção.

O primeiro foi por urgência a atriz que varia o comercial sofrera um assistente não foi nada muito sério, mas a impossibilitou de fazer o comercial, e eu era a única no local com as características físicas para fazer o papel dela, o problema é que não sou atriz e por mais que eu tenha me esforçado  não saiu bom, e o publico percebeu isto e logo o meu primeiro comercial de TV virou chacota, achei que perderia o contrato com o cliente porem isto surgiu um efeito positivo para a empresa o que deixou os meus clientes felizes ainda mais com a minha empresa e nos levou mais clientes novos e meu deu uma fama em nosso ramo, uma fama que não achava que merecia pois a ganhei por algo que não tinha relação com  meu trabalho. Não tinha mais volta só podia aceitar o que aconteceu com o tempo as pessoas se esqueceriam daquele comercial e voltaria a me olha pelo o meu trabalho apenas.

O segundou passo para deixar a vida comum que dei naquele dia, este eu dei por querer, bom não sei se realmente por querer pois se apaixonar não é algo que nos escolhemos. Para fazer o comercial fora contratado um ator, um ator conhecido de um seriado de tv, que iria estrelar um filme que seria lançado em alguns messes, um pessoa que vivia uma vida completamente diferente da minha, ele percebeu o meu nervosismo na hora da gravação e me orientou e meu deu dica de como fazer a pequena cena para o comercial se não fosse por ele a coisa seria muito pior. Ele também gostou de mim e não sei como ele conseguiu o meu telefone, e começamos a sair.

Sempre íamos em lugares pequenos e com pouco movimento, porem logo começaram as fofocas sobre quem era a mulher que saia com o grande astro pois o filme dele foi um grande sucesso e agora todos queriam saber quem ele era. Quando o comercial começou a ser esquecido um canal de fofoca reconheceu a mulher que saia com o astro a atriz iniciante de um comercial de TV, a minha vida mudou de uma pessoa comum e desconhecida para a namorado do grande astro do cinema, e tudo piorou quando ele me pediu em casamento, sim eu aceitei mas sabia que tudo iria piorar, jamais voltaria a minha casa simples com meu cachorro, mas estava ainda mais feliz com minha vida não era uma pessoa comum, mas tinha o coisa que muito consideram incomum mas era a única que deseja, um companheiro um homem que me amava pelo o que sou e se para ter ele ao meu eu precisava de todo o resto eu aceitei.

yellow concrete house
Foto por Thgusstavo Santana em Pexels.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s