O trapaceiro.

Nenhum comentário

Ah vida, como ela é bela e cruel ao mesmo tempo, eu estava em um momento bom em minha vida, estava em um ótimo emprego meus namoros ia bem, estávamos planejando nos casar, tudo estava fluindo melhor do que eu imaginava até, mas a vida é bela e cruel ao mesmo tempo.

Meu emprego era ótimo o emprego dos meus sonhos, entrei naquela empresa assim que terminei a faculdade estava já a cinco anos já e já havia recebido duas promoções e estava próxima de receber mais uma, a empresa era o sonho para qualquer advogado, porem os novos donos não eram, o grande advogado que criara aquele escritório falecera de uma doença seria  e cruel, em alguns messes o levou a morte, ele tinha dois filhos os dois advogados péssimos advogados um deles nem trabalha na área era dono de uma academia de natação, deixou tudo nas mão do irmão.

Quando entrei na empresa eu subi de cargos por que consegui salvar muitos casos que este quase destruía, o que me deu destaque na empresa e a gratidão dele e do pai, pelo menos ele sabia reconhecer quem o ajudava, porem isto não fazia dele uma boa pessoa, na verdade ele era um trapaceiro de grande porte, o irmão dono da academia resolveu vender a sua parte do escritório para o irmão após um ano da morte do pai, decisão coerente já que este não gostava de ir para lá e o irmão ao que parecia estava feliz em ficar com o escritório.

Foi ai que se descobriu como ele era um trapaceiro, todos estavam pensando que com a morte do pai ele tinha tomado jeito que estava finalmente ganhando juízo, mas como ele não quis negar comprar a parte do irmão ele não tinha mais como esconder que estava roubando dinheiro do escritório, na verdade após a compra da parte do irmão ele zerou as contas do escritório e naquele belíssimo dia de primavera quando fui verificar a minha conta bancaria para fazer o pagamento da parcela do meu apartamento eu descobri que meu salário não foi depositado, nem o de nem um funcionário  a empresa estava com a conta negativa e o nosso chefe fugira na noite anterior.

O outro irmão assim que ficou sabendo foi ate a empresa ver como estava a situação eu tive dó dele estava fazendo o impossível ele não era mais dono do escritório não fazia ideia que o dinheiro que foi usado para pagar ele era o ultimo salario dos funcionários, ele pagou a todos pelo o último mês de trabalho e informou que minguem precisava voltar no dia seguinte, sabendo que não seria bom para os casos que a empresa representava convenci ele a deixar que os advogados assumissem e recebessem dos clientes, então cada advogado ia entra em contado com o caos que eram responsáveis e negociar, sim eu precisava garantir um renda para os próximos messes fiz o possível para isto, e de qualquer forma não seria correto simplesmente abandonar os casos.

Eu era responsável por dez casos em andamento conseguiu mante cinco comigo com um bom pagamento, na verdade sair da empresam pensando em abri o meu próprio escritório, talvez em sociedade com alguns colega que eu gostava, o que eu sabia era que não poderia lamentar nem culpa minguem mesmo havendo um culpado  claro iriamos colocar ele na justiça porem não podia esperar por isto senta em minha casa.

Cheguei no meu apartamento cheia das caixas com as documentações do casos que consegui manter, precisei usar um carrinho de transporte subir o elevador entrei em casa  cansada coloquei as caixas sobre a mesa de jantar e comecei a separar os papeis do caso que seria julgado em poucos dias, estava concentrada fazendo isto mais ai ouvir um barulho vindo do quarto, meu namorado que morava comigo devia estar no trabalho dele aquela horo, o cachorro estava deitado no meu colo, o colei na caminha e fui verificar o quarto.

E lá estava om eu namorado na cama com uma mulher que nunca vira na vida, a cachorro pulou em cima deles assim que abri a porta, não sei se eles se assustaram mais comigo ou com o cachorro, eu não falei nada abri o armário com as roupas dele e comecei a jogar no chão ele começou a gritar que eu não podia fazer isto, eu me virei e com uma calma que não era minha falei.

“Este apartamento e meu, está no meu nome e você nunca meu dei um centavo para pagar por ele, ou pagar as contas então sim eu posso de colocar para fora, eu posso de proibir de voltar já que esta casa e minha e você ainda tem o seu apartamento, então volte para lá”

Eu peguei um a maça joguei as roupas dele dentro, por sorte dele e minha ele ainda não tinha levado tudo para minha casa, peguei tudo o que sabia que era dele pela casa e coloquei dentro da mala. Fechei e coloquei do lado de fora, enquanto fazia isto não sei como, mas a mulher já estava fora do apartamento ele tentou argumentar, mas quando abri a porta e coloquei para fora a maça e viu que não tinha mais o que falar.

Não conseguiu fazer mais nada de útil naquele dia, fui para cama cedo, meu cachorro ficou com a cabeça em meus ombros enquanto eu chorei a noite toda n amanha seguinte liguei para minha irmã que também era advogada contei tudo o que me aconteceu no dia anterior, ela trabalha em outra área da advocacia porem ela tirou alguns dias de folga no trabalho dela para me ajudar.

Durante a semana seguinte ela ficou em minha casa, me ajudou muito a organizar as coisas, se não fosse isto teria acumulado o trabalho, pois precisei  ir no escritório ver o a papeladas e a indenização para deixar o escritório, não imaginava que isto ia dá tanto problema como deu, para ajudar eu fiquei mal aquele semana toda, enjoada com tonturas, cheguei a desmaiar no escritório uma vez.

Então um dia minha irmã estava com uma nova mala arrumando as coisas dela em uma quarto vazio, ela montou uma cama lá perguntei por que ela estava fazendo aquilo, então ela tirou de uma sacola três exames de gravides de marcas diferente, eu arregalei os olhos, sim aquela era um forte possibilidade para o meu mal estar daquela semana.

Peguei os exames e corri para o banheiro fiz os três, e os três terão positivo, minha irmã me deu dez minuto sozinha lá, ela abriu a porta olhou para os exames e em seguida me abraçou forte, ela não me perguntou nada mas eu sabia exatamente o que iria fazer ter o meu filho ou filha, ia ser o meu filho não precisava de meu ex-namorado para ter o meu filho, a vida é bela me dera um filho, mas era cruel pois me deu algo que eu queria muito no pior momento possível.

sign pen business document
Foto por Pixabay em Pexels.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s