A queda.

Nenhum comentário

Sou uma ótima cabeleireira tenho um salão na minha cidade natal, nem um outro salão conseguiu chegar na cidade, minha clientes amam o meu trabalho e eu estou sempre atrás de novas técnicas produtos melhores equipamento, não tenho  o que reclamar minha agenda está sempre lotada se a cliente não marca com uma boa antecedência eu não tenho como atender, eu realmente não tenho como reclamar de minha vida financeira.

Mas as coisas não são perfeitas, meu maior sonho sempre foi encontrar alguém que me amasse alguém que eu pudesse ter ao meu lado em todos os momentos. Um relacionamento como os dos meus pais, sim eles brigavam não eram perfeitos, mas na hora que realmente importava eles estavam juntos eu queria algo assim alguém que pudesse confiar desta forma.

Só que todos os meus relacionamentos foram verdadeiros desastres, fui traída de varias formas, usada e roubada, um infeliz que contratei como gerente no salão um dia fugiu com todo o dinheiro do meu caixa, por sorte tinha um dinheiro guardado e consegui passar o mês sem deixar de pagar as meninas que trabalhavam comigo mas tive que atrasar algumas contas precisei marcar clientes após o meu horário para não correr o risco de ficar no vermelho.

Outro me traiu com um a antiga funcionária, outros simplesmente acabavam, cheguei ame casar um vez tivemos um filho, mas após um ano do nascimento de nossa filha as coisa acabaram esfriando entre nós, ele é um ótimo pai sempre que preciso ele fica com a nossa filha, esta casado novamente fiquei amiga da nova esposa dele, o que para nossa filha é maravilhoso ela adora a segunda mãe dela.

Mesmo com estas coisa tão boas em minha vida sempre sinto  falta deste amor como o dos meus pais, acho que algo como o que eles tem deve ser algo difícil de encontrar no dias de hoje, então após a mina última desilusão eu realmente desistir de procurar, tenho uma filha linda que amo muito ela já esta entrando na sua adolescência e ira precisar muito mais de mim então não é um bom momento para me ferir em um novo relacionamento.

Com isto na cabeça e com o coração tranquilo e cansado de se ferir, estava voltando para a minha casa após um dia particularmente cheio, morro em uma cidade pequena então quando tem um grande evento como um casamento a maior parte dos moradores da cidade vão e como o único salão de cabeleireiros todos queria ir fazer os seus cabelos e maquiagens lá, por sorte este não era um casamento da parte da cidade com a qual tenho amizade, então foi um dia cheio porem com um grande lucro, deixei o salão cansada.

No curto caminho até  a minha casa que faço normalmente a pé anão ser no dia de chuva que naquela época do ano era algo raro, porem era um dia firo de inverno provavelmente no dia seguinte iriamos ter neve, o vento estava quase congelado, eu andava encolhida e devagar tremendo com o frio, quando estava passando pela a casa vizinha eu pisei em algo escorregadio e fui de cara para o chão.

Com seguir me virar e ficar de costas para o chão meu tornozelo doía, doía muito, meu corpo todo estava dolorida e estava sem ar, tentei levantar e sentir a dor no tornozelo aumentar, minha bolsa havia caído na grama do jardim do vizinho, tentei me esticar para pegar mas minhas costas doeram, o chão estava gelado e o fio piora muito, então alguém veio correndo do outro lado da rua.

Se ajoelho ao meu lado levantou a minha cabeça e colocou algo em baixo dela, ele me perguntou alguma coisa levei um tempo para responder, então eu consegui focar no rosto dele era o novo vizinho, o novo professor da escola da cidade, ele tirou a blusa de frio levantou e correu para algum lugar voltou alguns minutos depois com o meu ex-marido que já estava em casa com a minha filha me esperando para voltar para sua casa.

Com ajuda dos dois eu consegui me levantar ele me levaram até  minha casa, tirei o meu sapado meu tornozelo estava claramente quebrado, meu marido pegou em meu banheiro um remédio para dor, ele estava em casa pois nossa filha estava doente e por isto ela não foi para casa dele para não passar para o filho dele, já que era uma doença contagiosa, meu novo vizinho que eu sabia que já tinha se apresentado porem a dor me impedia de prestar atenção no que os dois falavam, bom ele sem duvida se ofereceu pra me levar para o hospital pois ele deixou a casa voltou minutos depois com o carro ele e meu marido me levaram para carro.

Quando chegamos no hospital o remédio já havia feito efeito eu ainda sentia muito dor no tornozelo, porem as costas e o resto do corpo já não doíam dando, ele conseguiu uma vaga próxima a entrada desceu do carro e voltou com uma cadeira de rotas.

Foi apenas quando descemos do carro que pode vê-lo melhor, ele era o típico professor que faz com que as suas alunas se apaixonem por ele, era um homem de barba por fazer alto pele morena cabelos negros e olhos verdes, os lábios carnudos e musculoso o homem dos sonhos de muita mulheres, além disse um homem gentil afinal deixou a sua casa para ajudar uma desconhecida que caia na rua, ele pegara a minha bolso pois quando foi começar a emburrar a cadeira ele me deu ela.

Passamos a maior parte daquela noite no hospital, após tomar vários remédios na veia a dor estava controlada o suficiente para conseguir manter uma conversa com ele, após uma bateria de exames para ter certeza que meu único dano era o tornozelo, ganhei alta felizmente apenas com o tornozelo quebrado, ela poderia ter me deixado lá e ido para casa porem ficou comigo a tempo todo.

Quando chegamos em casa ele ajudou o meu marido a prepara a sofá cama para mim no andar de baixo para que eu não precisasse subir as escadas. Na manhã seguinte antes dele ir para o trabalho passou em casa deixou um bom café da manhã para mim e para  minha filha, que felizmente acordará bem melhor porem aceitei que ela ficasse em casa mais alguns dias, afinal eu não poderia cuidar dela se ela piorasse, minha mãe aceitou ir para minha casa, ela e meu pai s mudaram anos atrás uma um sitio nas montanhas para a aposentadoria dos dois.

Ao final da tare meu vizinho e salvador passou em casa novamente passa ver como eu estava, pude agradecer ele pela ajuda, e conversar melhor com ele, conversamos por varia horas ele pediu comida para o jantar deixou a minha casa apenas quando minha ame chegou.

Mesmo sabendo que eu não estava sozinha e que minha filha felizmente estava bem melhor, pois ele dava carona para ela para a escola, mesmo assim ele continuava a ir na minha casa todos os dias após o trabalho, e mesmo quando final mente tirei a tala ele continuou a ir em minha casa, sim aquele era o homem que me daria o mesmo amor que via nos meus pais, o companheiro que amava e com quem eu tinha certeza que poderia contar em qualquer momento.

photo of roadway surrounded by trees
Foto por KIM DAE JEUNG em Pexels.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s