O Espelho

Nenhum comentário

Você já foi traída? Você já se sentiu tão humilhada a ponto de querer acabar com tudo, até com a sua própria vida? Eu já me sentir assim eu já quis acabar com a minha vida apenas para colocar um fim a minha dor, egoísmo pensar assim? Talvez fosse um pensamento egoísta, mas estava desesperada para acabar com aquela dor, eu aceitaria qualquer coisa que me fizesse para de sentir aquela dor. Eu não imaginava que sentia dor na alma descobri em uma único dia que ela existia que era pior do que qualquer dor física, a dor física podemos suportar, existe remédios para diminuir, mas quando a nossa alma é ferida não existe remédio, não podemos dar pontos na alma para que a ferida feche mais rapto, o processo de cura é lendo angustiante, quando sentimos que o ferimento esta se fechando alguma tolice do cotidiano a reabre a dor volta intensa, alucinante não é uma ferida fácil de curar e foi exatamente assim que me senti após aquele dia.

A minha historia começa no colégio, quando conheci a que pensei que era o amor da minha vida, o aluno novo da escola que chegou conquistando o coração de todas as garotas da escola, ele entrou pelo o corredor com uma calça jeans comum uma camiseta  azul com o emblema de um jogo de videogame, era alto para idade, cabelos curtos clara, pele levemente bronzeada, ele vivia em uma vida na costa do estado costuma surfar todos os dias, os olhos era verdes músculos definidos tudo o que qualquer garota naquele idade desejaria para namorar eu não era diferente, aliás naquela época eu me importava apenas com futilidade e ter o garoto mais bonito da escola como meu namorado era uma desta futilidade das quais eu me importava naquela época.

Entre as futilidades das quais eu me importava estavam aminha aparência, eu levava horas planejando o que ria vestir em cada dia da semana, eu não tinha uma grande variedade de roubas meus pai não tinham um vida financeira para me prover este tipo de coisa, então nos finais de semana eu personalizava as minhas roupas para parecer que sempre esta usando algo novo este futilidade abriu caminho para minha careira como estilista então de todas as futilidades com as quais me preocupava acho que esta foi a única que realmente me rendeu algo. Isto era um dos fatores eu fazia de mima uma das garotas mais cobiçadas da escola, felizmente a genética de meus pais me favoreceu bastante, meus cabelos sempre os mantive cumpridos eram levemente cacheados na época perdia algumas hora arrumando os meu cachos todos os dias para mantê-los perfeitos, minha pele era muito pálida então tomava sol todos os dia no fim da durante para manter uma cor saudável, obviamente para fazer estas coisa me faltava tempo de estudo para ter notas altas mas me contentava apenas em não reprovar.

As notas no limite não preocupavam pois não eram elas que chamavam a atenção das pessoas, era a minha aparência então, e foi a minha aparência que chamou a atenção dele que o fez vir se sentar ao meu lado na hora do almoço eu fique tão feliz ao ver que eu conseguira chamar a atenção, clara que naquela época não sabia que estava fazendo isto da forma errada. Quando me olho no espelho hoje e vejo que metade daquilo foi levado para pelo o tempo que se naquela época eu levasse os meus estudo mais a séria, eu seria uma estilista mais bem sucedida do que sou hoje, não que eu passe por dificuldades tenho um bom emprego, com um bom salario posso ter uma vida mais confortável do que a que os meus pais me terão, apenas sei que se eu tivesse me esforçado para ter notas melhores eu teria entrado em uma faculdade melhor, o caminho até onde estou seria mais fácil sem dúvidas, mas qual adolescente consegue se preocupar com asa coisas que realmente importam? Qual adolescente escutam os seus pais que já cometeram aquele mesmo erro e estão apenas querendo nos mostrar um caminho melhor?

A minha maior realização no ensino médio foi quando ele me convidou para o baile de inferno, quando oficializamos o nosso namoro, passei o resto do ensino médio com ele éramos o casal da escola sempre éramos os reis dos bailes, eu me sentia tão orgulhosa quando via  inveja estampada na cara das outras garotas, ele era meu eu me sentia melhor do que elas apenas por ter ele ao meu lado, eu estava tão realizada, que quando consegui entra apenas na pequena faculdade do estado ao lado dele não percebi o erro que estava cometendo em minha vida, fui para a faculdade de moda era a única coisa que sabia fazer minhas roubas estilizadas ficavam realmente muito boas, ele para a faculdade de educação física, a única coisa que ele era bom era em esportes.

Foi no final da faculdade que minha vida e minha realidade foram confrontadas que minha alma sofreu de uma forma irreparável, que percebi como era fútil e insignificante, pelo menos foi a tempo de não desperdiçar toda a minha vida. Como na escola eu não me preocupava com as minhas notas, não fazia muitos cursos extras entrei em um estágio qualquer apenas para cumprir as exigências da faculdade, eu achava que minha beleza iria abrir qualquer porta para mim. Como no colégio me tornei a melhor amiga da aluna mais dedicada da sala, minhas notas suficientes para não ser reprovada eram muito por conta destas amizades, eu gostava delas sim, mas isto era depois que a conhecia no fundo mesmo gostando delas eu as usava para conseguir ajuda, nunca distratei as pessoa podia ser fútil sim mas não era escrota com as pessoas respeitava as prioridade das outras pessoas, me achava melhor do que elas sim mas não via graça em humilhar minguem por isto, aprendo isto na escola quando vi uma das minha amiga humilharem outra garota por não ser tão bonita assim, eu me sentir tão mal por ela que nunca me permitir fazer isto, afinal as pessoas não tem culpa em não ser bonitas ao não terem condições de terem boas roupas, sim este não é um bom motivo para respeitar a pessoas mas era o motivo que eu acha correto, afinal não se precisa de motivo para respeitar os outros eu uma obrigação respeitar os outros hoje eu sei disto.

Eu não era a única que tinha esta estratégia para conseguir boas notas, o homem da minha vida como qual naquele momento estava noiva estávamos planejando nos casar assim que terminássemos a faculdade, quando comecei a namorar com ele eu não imaginei que iria amar ele daquela forma, que ao conhecer ele eu não iria conseguir achar nem um outro mais bonitos, que não iria desejar estar com mais minguem além dele. Mas existia uma grande diferença entre nós, sempre que eu estava com alguém e sentia que esta pessoa me amava mais do que eu era capaz de ama-la eu libertava esta pessoa eu me importava com os sentimentos das pessoas e não queria ferir minguem, eu falhei neste ponto com minhas amizades assumo mas não em relacionamentos, ele não se importava com os sentimentos das pessoas, ele me usava de uma forma baixa e cruel mas ele também foi usado.

Como eu disse eu não fui boa em respeitar o sentimentos de meus amigos, e perceber isto foi a primeira ferida em minha alma eu não respeitava as pessoas como pensava, ao usar a amizade da pessoas para conseguir notas boas eu as feria sem nem ao menos me dar conta disto, uma desta pessoa que era usada não apenas por mim mas por ele também, uma que eu considerava a minha melhor amiga a única aula que tive junto com ele anatomia humana, eu a ferir e no coração dela se formou um plano de vingança. Sim ela o conquistou, eu não sabia, mas ele já não me amava mais dês o colégio talvez nunca tenha me amado eu era apenas a garoto bonita que podia exibi um troféu insignificante que ele usava para disfarça que na verdade ficava com qualquer pessoa que aparecesse em sua frente conquistava fazia a pessoa amar ele e depois a descartava, eu era o disfarce dele apenas isto.

Após minha ultima prova de fechamento de semestre eu volte para o apartamento que dividia com ele, uma apartamento pequeno um quarto sala e cozinha, ele não sabia que naquele dia eu chegaria mais cedo, ela sabia, sabia que era aniversário dele e que eu planejava fazer uma surpresa para ele, cheguei lá os dois estavam na sala ela já sem a blusa ele tirando a dele, ali foi que em dei conta das coisas que as feridas em minha alma se iniciarão, sair de lá correndo fui até outra amiga que ao ouvir o meu relato apenas riu de mim, olhou nos meu olhos e falou com um tom de deboche que aumenta o impacto das palavras dela.

“- Sua culpa não ver isto antes e se preocupar apenas com sua aparência, eles estão juntos a messes, mas não se preocupe ela pensa que ele a ama, mas assim como você ela apenas não ver que ele apenas usa as duas, ela o fez perder o disfarce dele, não pode mais se fingir de bom-moço comprometido para usar as pessoas, você se libertou de um traste mas você merecia ele sempre gostou de usar as pessoas fingindo ser amigas delas.”

Nunca me esqueci daquelas palavras, ele me enviou uma mensagem falando que deixara o apartamento, voltei para lá sozinha sem nem um amigo para me apoiar todos estavam chateados comigo com ele, eu sempre pensei estar tratando as pessoas de forma correta. Me sentei de frente para o grande espelho que ficava na parede do quarto que usava para cuidar e olha a minha aparência, ele não refletia o que tinha por dentro, não refletia a minha alma a minha mente o meu coração, a traição dos soia foi a primeira ferido, mas não foi a ferida que me fez querer desistir de tudo e de todos. O que me fez querer desistir da minha vida foi aquele momento sentada de frente par ao meu antigo espelho que finalmente estava refletindo muito mais do que minha aparência, o que destruiu a minha alma ver que eu fui a primeira a me trair, trair as minhas convicções com desculpa sem sentindo, fiz coisas que achava errado me escondendo atrás de razões egoísta ali sentada eu tinha duas opções acabar com tudo tirar do mundo aquele ser horrível que via no espelho, ou destruir a minha alma e reconstruí-la pedacinho por pedacinho.

Reparar meus erros ver as consequências deles era o mais difícil, ser uma nova pessoa era difícil doloroso e cansativo, os remendos em minha alma até hoje me causam dor em saber as coisas que fazia sem nem ao menos me dar conta do mal que eu fazia, a traição dele não foi algo ruim sei disso agora se não fosse aquela traição infantil, eu não teria visto o quando eu me traia, o quando eu precisava melhorar, não apenas pelos outros mas por mim eu estava lentamente me jogando em um abismo sem solta, e aquela traição abriu os meus olhos para que eu pudesse voltar encontrar  o verdadeiro amor da minha vida de uma família uma carreira verdadeira não uma mentira na qual estava entrando, e não era uma mentira só dele era uma  forma de que eu tinha para esconder os meus erros eu também o usava de forma baixa só que diferente dele eu chamava aquilo de amor ele sabia o que estava fazendo ele não se enganava ele não se traia.      

Entre no nosso apoia.se e ajude a aumentar os conteúdos dos blogs e do nosso Instagram https://apoia.se/eumaiseumaisalguem

brown wooden table with chair
Foto por Nugroho Wahyu em Pexels.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s