Festival de primavera.

Nenhum comentário

Eu tive um sonho, um sonho macabro, daqueles que você acorda suando frio, com o coração acelerado. Eu tive um sonho que me apavorou, acordei sentindo o meu corto tremendo minha única lembrança era o medo, a pavor, o pânico, mas era apenas um sonho em poucas horas eu já estava bem me preparando para sair, estava pronta para mais um dia de aula, mais um dia com meu pequenos alunos o sonho já totalmente esquecido.

Cheguei na escola e já estava completamente animada com os preparativos para o festival de primavera, passará o último mês ensaiando as crianças em uma pelo coral com canções animadas eu estava tão orgulhosa daqueles pequenos que uma coisa tola como um sonho não iria tirar a minha cabeça do que precisava fazer. Naquela semana as aulas das escolas da cidade foram suspensas todos os alunos estavam envolvidos com as atividades para o festival na cidade toda, então era comum alunos do ensino médio estarem na escola, muitos estavam lá para ajudar nas atividades que os pequenos não podiam realizar, então ver rosto desconhecidos para mim não era incomum, já que eu morava naquela cidade a apenas três anos.

Apesar de eu estar esbarrando em pessoas novas o tempo todo, existia uma que passou a chamar a minha atenção, uma garota relativamente alta, capelos curtos e loiros, ela fica sempre distante me encarava por alguns minutos depois sumia. Alguma coisa em meu peito doía ao ver aquela garota, não havia nada de especial nela, era apenas mais uma aluna do ensino médio devia estar lá para ajudar em alguma coisa como todos os outros, mas a presença dela me incomodava de uma forma irracional. Cheguei a perguntar para uma das mães que estavam em auxiliando no coral ela não vira a garota, voltei para casa no final do dia, ao sair com o meu carro do estacionamento lá estava ela do outro lado da rua me encarando, desviei o meu olhar e fui para casa eram apenas mais três dias e tudo voltaria ao normal, uma semana de festival onde aquela garota provavelmente estaria em qualquer outro lugar da cidade, provavelmente em sua própria escola, ela era apenas uma garota não tinha com o que me preocupar.

Foi me deitar cedo ensaiar os alunos prepara figurinos e o palco não eram tarefas fácil, muito menos quando você está ensaiando crianças de seis e sete anos, sim é uma tarefa muito mais cansativa do que parece então quando me deite logo estava adormecida. Na manhã seguinte acordei após outro sonho que me deixou suando frio e com o coração disparado. Novamente não pode me lembrar do sonho porem também não pode me esquecer do medo, da angústia e do pânico que aquele sonho fizera crescer em meu coração, levei aqueles sentimos para escola.

Tentei fazer as minhas tarefas com a mesma animação dos dias anteriores, mas o orgulho pelos meus pequenos não fora suficiente para me fazer esquecer daqueles sentimentos. Tentei me esforçar mais quando uma das alunas me perguntou por que estava triste naquele dia, deu um sorriso e disse que estava apenas cansada. Eu sabia que não estava enganando os pequenos não se pode enganar as crianças nestas horas e quando aquela garota apareceu novamente na porta do auditório tudo apenas aumentou, segurei uma forte vontade de chorar, e deixei as crianças com as mães que estavam lá para me ajudar e fiquei alguns minutos em minha sala me recuperando.

Eu realmente não sabia por que aquela garota me deixava daquele jeito, muito menos por que um sonho me deixara tão assustada, eu nunca tivera tanto medo por conta de um simples sonho, estava realmente perdida e não podia perneasse em minha sala meus alunos precisavam de mim  eles iria ter medo de se apresentar se eu não estivesse lá, fui ao banheiro de professores lavei meu rosto me acalmei um pouco, olhei no espelho e lá logo atrás de mim estava ela novamente, respirei fundo eu precisava me controlar, desviei meus olhos dos delas apenas quando me virei para encarar os olhos dela diretamente porem ela já n ao estava mais lá.

Desabei no chão, em um choro silencioso interno sem lagrimas, apenas a minha alma chora pela pavor daquela situação, eu não tenho ideia de quando tempo eu permaneci ali, sentir apenas a mão de uma das mães que me auxiliavam pegando em meu braço ela falava algo mas eu não respondia e muito menos compreendia o que ela falava, quando me dei conta estava na enfermaria, percebia quando sentir a enfermeira mentindo a minha pressão que estava baixa. Ela me deitou na maca e a mãe foi atrás de alguém para me levar ao hospital.

Eu sabia exatamente o que eu tinha, mas como eu iria falar que eu estava apavorada por que tinha visto um fantasma no banheiro? Seria sem dúvida taxada de louca  seria afastada da escola até provar a minha sanidade, mas eu sabia que não era loucura ou qualquer tipo de  alucinação, eu sentir ela atrás de mim sentir o calor de uma pessoa atrás de mim ela estava lá, mas não era possível ela ter sumido a porta estava longe de onde estávamos, ela não deve tempo e sair eutéria visto ela não poderia ter simplesmente desaparecido. Então quando o medico me perguntou qual o meu problema eu disse apenas que estava com uma indisposição dês a manhã, ele pediu alguns exames de sangue além de alguma vitaminas que poderia estar um pouco mais altas eu estava bem, ele me receito apenas  um complexo vitamínico e disse que eu deveria estar apenas cansada.

Não voltei para escola foi para a minha casa, ainda era cedo preparei um chá e me sentei na varando ao sol de fim de tarde, eu não sabia o que fazer, não tinha ideia de como conseguir ajuda o que eu sabia e que eu precisa me acalmar pensar no meu próximo passo, eu não sabia nada sobre aquela garota precisava descobrir quem era ela, por que ela aparecia para mim na escola, fui pesquisar na internet os antigos anuários dos alunos eu sabia que podia acessar os registro mesmo sento professora do primeiro todos os registros ficavam no mesmo servidor e os anuários eram públicos eu iria conseguir identificar e olhar a fixa dela sem problema.

Levei cerca de uma hora para encontrar uma aluna do primeiro ano do ensino médio, ela estudara neste ano a três anos atrás antes que eu me mudasse para aquela cidade. Com o nome dela pesquisei a fixa, não tinha nada que muito estranho em sua fixa, uma aluna comum com nodas razoáveis e que participava de algumas atividades pós aulas, os pais eram casa e não tinha nem um relatório de suspeito de agressão ou problemas familiares. Ela realmente havia morrido durante a semana de preparação par ao festival de primavera, fora encontrada morta pelos os alunos do primário um dia antes do festival, no auditório da escola. A única informação que não encontrei na fixa foi a como ela havia morrido, provavelmente encontraria esta informação no jornal da cidade. Havia várias reportagens sobre o acontecido porem em nem uma falava como ela morrera, só pode pensar em apenas uma coisa aquela garota queria que eu descobrisse como ela morrerá.

Me levantei iria para o auditório iria olhar, sabia que fora anos atrás, mas achava que ver o local iria me ajudar. Quando cheguei a porta de minha casa lá estava ela na minha frende  me encarando, ela não era mais um garota comum ela uma vitima de assassino sem dúvida, o rosto dela não era o de uma pessoa comum, lá estava um grande hematoma sangue corria dele, sua roupa estava manchada de sangue, ela chorava eu tive vontade de abraçar ela, o medo que sentia não vinha dela, não era ela que me causava medo não era ela que me deixava em pânico, ela estava apenas como medo como eu estava, ela estava apenas em pânico como eu estava.

Ela me olhava fixamente e balançava a cabeça, se colocou na frende da minha porta não queria que eu deixasse a minha casa, ela balançava a cabeça com força eu dei um passo a frende os olhos dela se arregalarão então uma uivo alto agudo, sentir algo congelando o meu corpo quando ouvi aquele uivo, mas não iria deixar o medo me dominar novamente eu precisava descobrir quem a mandou eu precisava libertar a alma daquela garota. O ouviu a fez desaparecer de minha porta corri para o meu carro.

Acelerei eu sabia que a escola já estava fechava, já estava anoitecendo, ela apareceu novamente no meio da rua, me assustei no a princípio quase desviei o carro mas consegui me concentrar e seguir, ela corria ao meu lado ela gritava algo mas sua voz não me alcançava o uivo novamente, desta fez mais alto me paralisou estava perto, o que matou aquela garota não era humano, então conseguir ouvir o que ela me falava.

-Por favor, você não pode mais salvar apenas fuga, fuga que isto acabara se ele não conseguir pegar você tudo estará acabado.

A porta pela qual entrei se fechou eu não via nada mas sentia aquele mesmo pânico que sentia após acordar no dia anterior e naquela manhã, os mesmo sentimento estavam no meu peito eu não poderia fugir por ali, corri na direção aposta iria deixar a escola pela saída do ginásio, mas quando me aproximei dele a porta se fechou a coisa estava lá também, corri para o auditório entrei pela a porta que dava na parte de trás do palco  tudo estava escuro então desmaiei.

Um grito me acordou, uma mulher conhecia aquela voz, uma das mães que estavam me ajudando naquela ultima semana, levantei estava tonta andei na direção do grito, na direção do palco a mulher tirava as crianças do palco, elas já estavam lá para o ensaio final, as crianças saiam com uma outra mãe, fui na direção da que me ajudava perguntei o que estava acontecendo ela não me respondeu nem me olhou, falava no telefone, o som parecia distante abafado, alguém colocou a mão em meu ombro me virei, a garota estava lá olhando para mim chorando, outras estavam atrás dela dez ou doze, uma delas uma garotinha de aproximadamente dez anos apontava para algo no chão atrás do palco me aproximei, eu devia ter entrado em pânico novamente, chorado gritado, apenas abracei a garota que tentava me avisar para ficar longe, que tentava me avisar que aquele lugar seria o lugar de minha morte, que a minha alma seria aprisionada por algo maligno que colecionava almas.

Entre no nosso apoia.se e ajude a aumentar os conteúdos dos blogs e do nosso Instagram https://apoia.se/eumaiseumaisalguem.

yellow sunflower field under blue and white sky
Foto por zhang kaiyv em Pexels.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s